VISITE NOSSO NOVO SITE

19 de nov de 2010

VOLTA VENTO

Aluno (de capacete) recebendo instrução

A semana foi mesmo mancinha e as previsões mostram o mesmo comportamento para o final de semana:
Para hoje, não tem previsão.
Para sábado, quem sabe do meio da tarde em diante sopre um SE (sudeste).
Para domingo, esperanças de ESE (leste-sudetes) para a tarde.


Sem vento, continuamos nas reflexões.


O verão está chegando e a beleza do nosso esporte acaba despertando o interesse de um número cada vez maior de praticantes, mas isto pode trazer problemas se não nos organizarmos logo. Falo sobre a SEGURANÇA NO ESPORTE.
Esta semana mesmo tivemos a notícia de um acidente fatal na Ilha do Guajiru, a proibição do kitesurf num ponto de Búzios e alguns incidentes aqui no RS, durante o feriado.
Na Ilha do Guajiru, segundo relatos, a decolagem era num lugar “apertado” e o kite foi colocado voltado para a margem, ou seja, caso houvesse uma puxada forte e infelizmente houve, o arrasto seria para o lado dos obstáculos e não para a água. Uma má prática que eu mesmo faço direto, apesar de sempre tomar uma observação da instrutora que me fiscaliza. Sobre este mesmo caso, há outras discuções sobre o equipamento, tipo de stoper ou o uso do eject, mas se o kite estivesse apontado para a água, no máximo ela teria tomado um caldo.
A proibição do kitesurf num determinado local em Búzios é decorrente de um acidente de aula. Instrutor envolvido em acidente é muito ruim para o esporte e retrata a qualidade da instrução ou da importância que é tratada a segurança na instrução.
No feriado em alguma praia do litoral, um kitesurfista experiente foi arrastado para as dunas e deu muita sorte de não encontrar nenhum carro ou obstáculo. Pelos relatos que tivemos, a culpa foi a decolagem direto dentro da janela, não respeitando o movimento circular do kitesurfista procurando o início da janela. Péssima prática, mas que é muuuito comum por aqui.
Outra do feriado, um veículo atropelou um equipamento sendo decolado. O kite rasgou, o kitesurfista foi arrastado e o motorista não parou. Sem comentários.
Na mangaviento, um kitesurfista treinando transição com salto na beirinha, caiu e trincou dois ossos da mão. Kite na beira, total errado.
Penso que chega de exemplos, pois com certeza TODOS temos algum depoimento para dar.
O fato é que temos que priorizar a vida, a integridade física e os bons hábitos no esporte, para podermos ser exemplo aos que estão começando e para não termos o risco de também termos aqui, áreas proibidas para ao nosso esporte.
Tomamos por utilizar os procedimentos corretos e seguros. Sei que assim dá, daquele outro jeito também, mas tem um jeito que é o certo, o jeito seguro.
Kitesurf necessita de boa instrução, não de entulhão.
Área de kite não é festival de kite batendo, se enrolando, gente arrastada e instrutor gritando a todo o momento. Área de kite é área controlada, com regras estabelecidas pela IKO e difundidas nas boas escolas.
Era isso.
Bom final de semana à todos.

2 comentários:

  1. Mais uma prá complementar a "bruxa solta", nem tão bruxa assim: Em Imbituba, um kitesurfista habilidoso (e provavelmente experiente), com um Best novo, derrubou o kite e não conseguiu redecolar. Acabou sendo levado por quase 1 Km, até conseguir sair na beira. Conversando com ele, explicou que não conseguiu desarmar o sistema de segurança, que sequer havia testado ou tinha certeza de como funcionava. Imagine se a necessidade de ejetar tivesse ocorrido na pressão...

    Abraço, Luiz

    ResponderExcluir
  2. Excelente matéria Fumaça!!
    SEGURANÇA ACIMA DE TUDO, atenção aos pequenos detalhes!

    Um abraço,
    Ricardo Pita

    ResponderExcluir