VISITE NOSSO NOVO SITE

23 de mai de 2011

MUITO BOM!

Final de semana com boas condições de vento.

Na sexta-feira, fomos à Lagoa dos Barros em Osório, na praia da Santinha. Belíssima tarde de sol, vento sempre na volta dos 20 nós, as vezes apertava um pouco, noutros momentos afrouxando.

Sábado, novamente sol e um calorzinho, mas o vento muito melhor, sempre acima dos 20 nós, com períodos de 25. Excelente, apesar de alguns reclamarem da água batida, mas temos que aprender desfrutar o melhor de cada lugar. Se a água está batida, voe.

Domingo foi dia de descansar, pois com a freqüência menor de condições, o corpo fica desacostumado a velejar.

Para a semana temos boas condições e quem tiver disponibilidade, fique atento:

Segunda-feira pode chover um pouco, a temperatura sempre abaixo dos 20°C e um minuano (vento oeste), deve soprar, tanto no litoral quanto na capital, podendo chegar aos 20 nós.

Terça-feira tem NE (nordeste) para o litoral e Osório e E (leste) para a Varzinha. Parece que vai ventar acima dos 25 nós em qualquer lugar. A temperatura novamente não deve passar dos 20°C

Quarta-feira mudanças novamente. Entra o minuano e na Varzinha deve ser forte, acima dos 25 nós. Deve ventar bem também em Porto Alegre.

Por enquanto, vamos falar até quarta-feira, pois daí pra frente, já seria conversa fiada.

Um comentário que vale a pena, para aprendermos, principalmente, quem acha que kitesurf é embarcação de longos percursos.

O fato ocorreu na sexta-feira e como é para aprendermos com os acontecimentos, os nomes dos envolvidos não vem ao caso.

Sexta-feira ventou bem na lagoa dos Barros em Osório, mas no final de tarde deu uma baixada na intensidade. A galera ficou lá, contemplando o pôr-do-sol. Todo mundo feliz de ter investido naquele dia maravilhoso.

No retorno, já no asfalto que liga o Capivari à Osório, uns 5 km adiante do trevo da Santinha, já quase anoitecendo, notaram um kite vermelho dentro da água. Devia ser alguém fazendo um downwind dos lado da freeway, provavelmente saído da Windfly, com rumo para os lados da Rajada ou da praia da Santinha. Naquele momento e naquele lugar, o vento era praticamente nulo, pois ali é uma região de rotor (turbulência), o kite não redecolava de jeito nenhum. Imediatamente todos pararam se questionando o quê fazer, alguns telefonemas aos instrutores locais que, providenciaram um resgate, provavelmente já no crepúsculo escuro. Resumo da história:

4 kitesurfistas saíram de downwind próximo das 17 hs – há uma hora de terminar a luz natural, para percorrer uns 12 ou 15 km, ou até mais, vindo pela beira; vento diminuindo, quase todo o percurso de terral, numa lagoa grande e por um lado onde que é turbulento, sem resgate,...

Um kite ejetado, que foi achado somente no outro dia e natação forçada de mais de uma hora. Este kitesurfista, até então, nem havia sido avistado pelo pessoal que pediu o socorro por telefone.

Uma prancha perdida, do kitesurfista avistado pelo pessoal. A prancha também foi achada no outro dia. Dois kitesurfistas que chegaram bem e também devem ter feito sua parte e ajudado no resgate dos amigos.

Rapidamente podemos ver que o horário e a condição do vento não eram favoráveis. Também o tipo de downwind, terral, numa lagoa bem grande, parece não ser muito apropriada para o planejamento e condições gerais. Este tipo de downwind é um pouco mais complicado e necessita além de experiência, um planejamento do tipo, e se der errado.

Sair de downwind de Capão da Canoa para Tramandaí com vento NE é uma coisa, um terral, sempre é bem diferente.

Mas no final, como em novela brasileira, tudo de certo, GRAÇAS A DEUS e ao bote que havia na Rajada.

Era isso então galera.

Abraço à todos e excelente semana.

Um comentário:

  1. O Pior de tudo foi que um desses retardados, estava contando a aventura como se fosse herói! é cada um por ai, credo !!

    ResponderExcluir